Fóruns / Reuniões 2015-16 / Trigésima Sétima Reunião Ordinária - 19/05/2016


Trigésima Sétima Reunião Ordinária - 19/05/2016
1) ABERTURA
 
Prezados Companheiros do Rotary E-Club Tropeiros – D4620, visitantes e convidados, sejam todos bem-vindos à nossa reunião.
 
Para iniciarmos, peço a todos uma saudação virtual ao pavilhão nacional.
 

 
2) REFLEXÃO
 
 

 
 
 
3) TEMA DA REUNIÃO: "ROTARY SIGNIFICA AJUDAR O PRÓXIMO, E É ISSO QUE ESTOU FAZENDO"
 
 
 
 
Muhammad MallahHamza (à esquerda) com o rotariano Andreas von Bardeau em frente ao castelo de Bardeau, em Schloss Kornberg.
Foto: Mark Baker
 
No ano passado, mais de um milhão de refugiados da Síria, do Iraque e do Afeganistão buscaram abrigo na União Europeia. A maioria entrou pela Grécia, saindo da Turquia e fazendo uma assustadora viagem de bote para cruzar o Mar Egeu. Ao chegarem, eles seguiram para o norte, caminhando mais de 1.600 quilômetros pelas montanhas dos países Bálcãs em direção à Alemanha. Essa era a odisseia incerta que, no final de 2014, aguardava Muhammad MallahHamza, um curdo de 26 anos que decidiu deixar a Síria, sua terra-natal. A viagem levaria o universitário recém-formado a uma pitoresca cidade austríaca – e aos braços do Rotary Club local, que lhe daria a chance de recomeçar e ajudar outras pessoas na mesma situação.
 
Conheci MallahHamza em um café na sua nova cidade, Feldbach, no estado de Estíria, que fica no sudeste da Áustria. A cidade de 5.000 habitantes, conhecida pela produção de vinho branco e óleo de semente de abóbora, fica bem distante do caos do Oriente Médio. É o tipo de lugar onde escolas e igrejas são extremamente limpas, agências bancárias e farmácias são impecáveis, e os barulhos mais altos na rua vêm dos sininhos das bicicletas. Feldbach atualmente abriga cerca de 150 refugiados.
 
MallahHamza é uma pessoa simpática, com um temperamento calmo e um sorriso fácil que desaparece apenas quando ele fala sobre a situação da Síria. Formado em Literatura Inglesa pela Universidade de Damascus, ele estava prestes a perder sua isenção e ser forçado a lutar contra os diversos grupos rebeldes que se opõem ao ditador Bashar Assad, inclusive o Estado Islâmico (ISIS). “Não queria morrer lutando contra o ISIS”, ele desabafa.
 
Uma perigosa jornada de dois meses da Síria para a Estíria aguardava os refugiados vindos do Oriente Médio em busca da relativa segurança europeia. Depois de cruzar a fronteira entre Síria e Turquia, MallahHamza fez a travessia para a Grécia em um barco de borracha de quase três metros. A pequena embarcação abrigava mais sete pessoas e mal foi capaz de concluir a viagem. “Choveu muito naquela noite”, relembra MallahHamza. “Foi terrível”.
 
Uma vez na Grécia, MallahHamza se entregou à polícia e foi colocado em detenção temporária para começar o processo de solicitação de asilo político. Lá ele aprendeu que muitas pessoas na Europa – talvez a maioria – não querem refugiados. “A polícia nos tratou como animais”, conta. “Ficamos sem comida e água por três dias. Eles usavam máscaras e nos tocavam com luvas, como se tivéssemos alguma doença”.
 
Da Grécia, MallahHamza partiu para uma jornada tortuosa e estressante em direção ao norte. Tudo começou com uma trilha de duas semanas rumo à fronteira da Albânia, onde ele e outro refugiado fizeram amizade com um guarda que os escondeu em um apartamento na capital, Tirana. Da Albânia, depois de cruzarem clandestinamente outras fronteiras e pagarem diversas propinas a policiais e recepcionistas de hotéis, eles passaram por Montenegro, Sérvia, Hungria e, por último, Áustria, onde acabaram no campo de refugiados Traiskirchen, 32 quilômetros ao sul de Viena. MallahHamza submeteu um pedido oficial de refúgio na Áustria, e foi encaminhado para um abrigo em Edelsbach, cidade não muito distante de Feldbach.
 
A parada final na trajetória de MallahHamza mostrou-se particularmente decisiva, tanto para ele quanto para o Rotary Club de Feldbach. Em sua primeira manhã na nova morada, ao sair para comprar pão em Edelsbach, ele conheceu o padeiro Fritz Hummel, de 69 anos. A conexão entre os dois foi imediata e eles se tornaram grandes amigos. “Fritz Hummel me tratou como filho”, diz MallahHamza. Hummel também demonstra sua afeição. “Ele é um ótimo rapaz."
 
Hummel diz não ser o “típico rotariano”. A maior parte dos 48 associados do clube de Feldbach são médicos ou outros profissionais. Hummel, rotariano há mais de 20 anos, trabalha em uma padaria aberta pelo seu pai em 1953 e atualmente administrada pelo seu filho. Ele é um homem de grande porte, com um coração ainda maior. “Viajei para a Síria 40 anos atrás e fui tratado muito bem”, conta Hummel. “Rotary significa ajudar o próximo, e é isso que estou fazendo”.
 
Antes da crise de refugiados, os rotarianos de Feldbach eram mais conhecidos por patrocinarem o concerto anual de Natal e arrecadarem fundos para bolsas de estudos. Mas a conexão entre MallahHamza e Hummel levou o clube a se envolver ativamente na resolução do problema mais grave enfrentado pela Áustria no momento. A parte central deste trabalho é um programa para coletar dinheiro e artigos domésticos. “Doamos roupas, alimentos, computadores e televisões, assim como bicicletas usadas”, diz Hummel. “Também os ajudamos a se consultarem com médicos e advogados do clube”.
 
O número crescente de refugiados – que no final do ano passado chegou a 6.000 pessoas entrando diariamente no território europeu – teve grande repercussão na Áustria no que diz respeito à política de portas abertas comumente vista na União Europeia. Pesquisas de opinião indicam que os austríacos estão se sentindo profundamente divididos quanto à aceitação de refugiados. Um levantamento feito pela GfK-Austria, em outubro, revelou que 49% dos austríacos querem que o fluxo de refugiados diminua ou cesse por meio de controles fronteiriços mais rígidos.
 
Segundo o rotariano Manfred Krasnitzer, em meio a tanto medo e apreensão, o papel do clube de Feldbach vai além da doação de alimentos e prestação de serviços, passando a englobar a disseminação de informações aos moradores. “Os associados do Rotary são os formadores de opinião na cidade”, ele explica. “Quando as pessoas daqui tiverem uma ideia mais realista do que está acontecendo, elas poderão mudar suas perspectivas”.
 
Krasnitzer acredita que os associados precisam começar a pensar no futuro. “Isso significa, em primeiro lugar, ajudar os refugiados a aprenderem alemão”, afirma. “Depois, precisamos identificar suas habilidades e ajudá-los a encontrar bons empregos”.
 
O desejo de ajudar os refugiados recém-chegados acabou gerando um plano ambicioso para oferecer moradia temporária em uma antiga estalagem para caçadores na área de um castelo renascentista próximo a Feldbach. Schloss Kornberg é o patrimônio da família de Andreas von Bardeau, conde e associado do Rotary Club de Feldbach. (Sua esposa, Anna, é a bisneta do arquiduque Francisco Ferdinando, herdeiro do trono de Habsburg cujo assassinato em Sarajevo, em 1914, desencadeou a Primeira Guerra Mundial.)
 
Bardeau, de aproximadamente 50 anos de idade, é um homem afável com uma atitude extremamente direta, atenuada por uma dose de charme aristocrata. “Fui criado numa casa onde aprendemos a pensar não só na Europa, mas também no cenário internacional”, diz. “Quero mostrar para as pessoas que a situação está tranquila”. A estalagem Kornberg tem um longo histórico no acolhimento de refugiados. Por diversos anos o local abrigou pessoas deslocadas depois das duas guerras mundiais.
 
Através desta conexão com o clube de Feldbach e sua amizade com Hummel, Bardeau conheceu MallahHamza e, eventualmente, contratou o jovem para morar e administrar a estalagem, aberta em novembro. Os laços de MallahHamza com o Rotary também o ajudaram a obter uma autorização para continuar residindo no país e sua carteira de motorista, documentos essenciais para esse recomeço.
 
As ações do Rotary Club podem ter inspirado grupos locais a fazerem mais pelos refugiados. Em Feldbach, uma escola do ensino médio passou a oferecer aulas para refugiados em idade escolar que, do contrário, não teriam acesso a escolas austríacas. Embora o clube de Feldbach não esteja diretamente envolvido na iniciativa, em cidades pequenas todos se conhecem e acabam influenciando uns aos outros. Edith Kohlmeier, a atarefada e alegre diretora da escola, explicou as dificuldades enfrentadas pelo país em decorrência do fluxo de crianças refugiadas.
 
De acordo com as leis austríacas, os alunos devem ter algum tipo de registro legal para irem à escola. Como milhares de refugiados – inclusive muitas crianças órfãs – estão no limbo jurídico, essa norma cria uma enorme lacuna na rede de apoio a tal segmento. A escola de Kohlmeier, que recentemente passou por uma grande reforma, designou uma de suas salas especialmente para os refugiados.
 
Cerca de 20 estudantes do ensino médio que chegaram à Europa sem seus pais vão às aulas dadas por voluntários da Cáritas Austríaca, uma instituição beneficente católico-romana que presta assistência a refugiados desde a Primeira Guerra Mundial. “Damos às crianças uma estrutura no seu cotidiano”, diz Kohlmeier. A maior parte dos alunos está aprendendo alemão rapidamente, mas o grande problema são as diferenças entre os grupos, inclusive quanto ao nível de escolaridade. “Muitos estudantes sírios passaram pelo ensino médio, enquanto os afegãos nunca pisaram numa escola”, ela explica.
 
No último dia da minha visita, conheci as primeiras famílias de refugiados que chegaram a Schloss Kornberg: uma da Síria e outra do Afeganistão. A estalagem, com capacidade para oito famílias, estava equipada com eletrodomésticos modernos, máquinas de lavar roupa, camas e outros itens. Bardeau cobriu os custos iniciais com seus próprios recursos, mas eventualmente receberá reembolso do governo, dependendo do número de refugiados e da duração da estadia.
 
Os recém-chegados se alegraram ao ver sua nova casa e o belo ambiente ao redor. MallaHamza, sorrindo, mostrou a eles onde deixar suas coisas e os levou até a cozinha para prepararem sua primeira refeição.
 
Mark Baker é um jornalista freelancer e escritor que mora em Praga. Ele escreve frequentemente sobre viagens, política e problemas sociais para publicações e organizações como a NationalGeographicTraveler, BBC, ForeignPolicy, e Lonely Planet.
 
Por Mark Baker
The Rotarian (Da edição de maio de 2016 da The Rotarian)
1-May-2016
 
 
 
 

4) INFORMAÇÃO ROTÁRIA 

 

ELIMINE A PÓLIO AGORA!
 
 
Fonte: http://www.endpolio.org/pt/stories 

O governo canadense está doando C$40 milhões ao longo de três anos em apoio ao programa de erradicação da pólio no Paquistão, para que a OMS e o Unicef interrompam a transmissão do vírus selvagem no país. O Canadá é o quinto país com as mais altas doações per capita à campanha, tendo se comprometido a doar mais de C$500 milhões até o momento. 
 
 
Recursos
Leia um artigo publicado no site Evening Standard (em inglês) que se concentra no trabalho do Rotary em prol da erradicação da pólio.
Leia um post escrito por Aziz Memon (em inglês) sobre um projeto no Paquistão que utiliza a tecnologia em apoio à luta contra a pólio.
Veja a recente cobertura da mídia sobre o trabalho do Rotary.
Saiba como a campanha Elimine a Pólio Agora: Entre para a História Hoje, patrocinada pelo Rotary International e a Fundação Bill e Melinda Gates, triplica o valor da sua contribuição.
Compartilhe sua história para ter a chance de vê-la publicada no site EndPolioNow.
 
SORTEIO DOS TALÕES CAMPANHA TRTA 2015-2016
Os números sorteados no 1º, 2º e 3º prêmios da Federal, do dia 14 de maio, não coincidiram com nenhum dos números impressos nos cupons pagos na Campanha. Assim, será feito o sorteio manual nos momentos reservados ao Companheirismo ao final das plenárias da Conferência 20 a 22 de maio em Atibaia, entre o talões e cupons pagos até surgirem os vencedores de acordo com o regulamento. Cada sorteio (1º, 2º e 3º prêmios) será formado pela extração de 4 números da urna (o 1º corresponde à unidade de milhar, o 2º à centena, o 3º à dezena e o 4º à unidade).
 
CELEBRE CONOSCO EM ATLANTA
 
 
Aproveite o desconto especial na pré-inscrição e pague apenas US$ 265 para participar da Convenção do Rotary de 2017, onde comemoraremos o centenário da Fundação Rotária!
Na Convenção de 1917, em Atlanta, o então presidente Arch Klumph anunciou seu sonho de criar um fundo de dotação para o Rotary. Em 2017, celebraremos o ótimo trabalho que os rotarianos fizeram nos últimos 100 anos graças a esse sonho.
O preço especial na taxa de inscrição é uma homenagem a Arch Klumph e ao seu aniversário, 6 de junho, assim como ao valor da primeira contribuição ao fundo de dotação que deu origem à Fundação Rotária, no valor de US$26,50.
Junte-se a nós em Atlanta! Para aproveitar a taxa especial, faça sua inscrição de 28 de maio a 6 de junho de 2016 pelo site riconvention.org.
 
 
 
 
BOLSAS ROTARY PELA PAZ DE 2017-2018
 
 
 
As inscrições para esta bolsa já estão abertas! Indique pessoas para participarem do programa de mestrado ou para obtenção de certificado de desenvolvimento profissional em um dos nossos seis Centros Rotary. Você pode colaborar à instauração da paz em regiões turbulentas, mesmo que seja promovendo as bolsas e dando apoio aos candidatos durante o processo de inscrição. Alguns dos melhores candidatos estão na sua própria comunidade. Veja algumas maneiras de promover o programa em sua região:
 
Verifique se os associados do seu clube estão familiarizados com o programa Bolsas Rotary pela Paz. Quanto mais pessoas estiverem atentas a bons candidatos, mais fácil será encontrar os melhores aspirantes à bolsa. Faça uma apresentação sobre o programa em seu clube ou convide um bolsista ou ex-bolsista para falar aos rotarianos. Se precisar de ajuda neste sentido, envie um e-mail para alumni@rotary.org.
 
Envie um comunicado à imprensa sobre as Bolsas Rotary pela Paz aos meios de comunicação locais.
 
Reúna-se com parceiros da comunidade. Pense em organizações com as quais seu clube já trabalha ou procure grupos ou universidades que tenham ideias afins e programas relacionados.
 
Use as mídias sociais. Anuncie oportunidades de bolsas aos seus amigos pelo Facebook, LinkedIn e Twitter. Você também pode acompanhar o perfil do programa Bolsas Rotary pela Paz no Facebook e compartilhar fotos e histórias interessantes.
 
Os candidatos às Bolsas dos Centros Rotary pela Paz de 2017-18 devem submeter as suas inscrições ao distrito até 31 de maio. O prazo para os distritos entregarem as inscrições endossadas à Fundação Rotária é 1º de julho.
 
 

 
 
 
 
 
· 

 

5) AVISOS, RECADOS e CONVOCAÇÔES

 

ASSEMBLEIA E FESTIVA DE POSSE DO E-CLUBE

 

 
Companheiros, chegamos a uma decisão. De acordo com a maioria, faremos nossa assembleia no dia de nossa posse.
Estão todos convocados para a assembleia que será realizada no dia 26 de junho, às 8h30. Na pauta, vários assuntos entre eles, o plano estratégico, as metas e finanças para o ano rotário 2016-2017.

Na sequência, a partir das 10 horas, será a festiva de posse da diretoria. O convite será enviado por e-mail. Os eventos serão realizados na sede campestre, no Jardim Europa, em Sorocaba. Estão todos convidados! ;)

 

POSSE DA GOVERNADORIA
 
 
 
Queridos amigos, o GE 2016-17 Celso Moreira enviou aos presidentes eleitos um comunicado pedindo que seja realizado o pagamento dos convites para a festiva de posse. Os interessados em participar desse grande evento em Sorocaba, por favor, me comuniquem (só tenho 8 convites, ou seja, 1 mesa) para que eu possa efetuar o pagamento o mais rápido possível.

Dos oito, eu tenho três convites reservados: um meu (Patty ) e dois do companheiro Renato. Mais alguém se interessa? Valor R$ 125 com buffet e bebida inclusa. Vai ser um festão!!!!

 

 
 
6) COMPANHEIRISMO
 
 
 
O que a paz significa para você?
 

 
 
7) ENCERRAMENTO 
 
 
Obrigada pela participação! Para encerrar, convido todos para saudar o Pavilhão Nacional.
 
Tenham todos uma ótima semana!
 
 

Enviar Comentário
 

1

  • Paulo Henrique Reis WancelottiPresente

    por Paulo Henrique Reis Wancelotti
    em 26/06/2016 06:49


  • Artur Roberto MandlPresente, aproveito para confirmar minha presença para dia 26/06.

    por Artur Roberto Mandl
    em 29/05/2016 19:31


  • RINALDO LUIS FUSCOBom tema da reunião desta semana! Ajudar sem olhar a quem, ou Dar de Si sem Pensar em Si! Isto é Rotary! Gostei da data da Assembléia, e que bom que será conjunta com a Posse!!! Abraço a todos!!!

    por RINALDO LUIS FUSCO
    em 25/05/2016 22:02


  • Patrícia de Moura CaçãoPresente! Boa semana a todos! ;)

    por Patrícia de Moura Cação
    em 22/05/2016 19:21


  • Maria Helena Jandreice RazeraParabéns, excelente conteúdo!

    por Maria Helena Jandreice Razera
    em 21/05/2016 15:36


  • Cesar Augusto LunardiPresente.. Parabéns

    por Cesar Augusto Lunardi
    em 20/05/2016 21:39


  • José Antonio De MilitoÓtima reunião com bastante conteúdo. E é pura verdade temos que ajudar sempre, isso nos torna mais felizes.

    por José Antonio De Milito
    em 20/05/2016 19:23


+ tópicos


Rotary E-Club Tropeiros Distrito 4620

todos os direitos reservados

  • S-Maq
  • S-Info